terça-feira, maio 30, 2006

1998

Há algum tempo atrás escrevi posts sobre as copas de 1986, 1990 e 1994. Vamos para 98...

A seleção de 1998 era basicamente a de 1994, com Cafú de titular, Roberto Carlos no lugar do Branco (que tinha se aposentado) e no lugar do Leonardo (que havia migrado para o meio de campo) e sem Romário. Este último foi barrado na França por ter se machucado. Ao meu ver, aquilo foi coisa do Zico que era coordenador técnico da Seleção, que nunca foi muito com a cara do baixinho. E pior: convocaram o Emerson no lugar...sinceramente, acho esse cara um tosco total, mas ele tem o mérito de conseguir agradar a todos técnicos da seleção (Parreira, Zagallo, Leão, Felipão, Luxemburgo). Portanto, o ataque seria formado pelo Bebeto, que já tinha se consagrado 4 anos antes, e pelo Ronaldo (na época, ainda chamado de Ronaldinho, por falta de concorrência) que era a grande revelação do futebol brasileiro e que todos esperavam que iria arrasar. Não arrasou. A seleção foi indo, passando....teve a famosa semi-final contra a Holanda, onde o Taffarel se firmou como pegador de pênaltis e jogador de peso em momentos decisivos. E veio a final...

O ano de 98 como um todo foi bem complicado pra mim: tinha terminado um namoro (ou melhor, terminaram comigo), voltei a morar em Campinas, boa parte dos meus amigos estavam em Sampa ou na Europa, estava fazendo cursinho, não sabia se iria estudar na França. Em julho, eu tinha acabado de tirar carta de motorista, e pela primeira faz da minha vida, fiquei sozinho em casa durante um mês (meus pais estavam viajando)...foi um mês de muita balada, e de conhecer gente nova :-) Por vários motivos acabei assisitindo a final em casa sozinho.

Estava otimista praquele jogo. Começou a transmissão da Globo ("bem amigos da rede Globo..."), e a grande notícia era que a escalação oficial passada aos jornalistas não tinha o Ronaldo. Obviamente, o Galvão não pode se conter e montou toda uma teoria sobre porque o Ronaldo não estava escalado...daí a seleção entrou em campo com Ronaldo...e lá veio o Galvão com outras teorias. A história depois mostrou que todas estavam errada. E mostrou também que o Brasil nunca entrou em campo aquele dia....aquele jogo foi um dos piores espetáculos que eu já vi minha vida. A França só não goleou mais ainda porque seus atacantes não sabiam fazer gol e o Zidane devia estar cansado no final. E eu aquele dia tomei váaaaaaaaaaaarias capirinhas pra esquecer.

Epílogo: alguns anos depois, estava em Paris e fui participar de um evento para arrecadar fundos para combate à AIDS. O evento era numa sala de shows gigantesca (Paris Bercy), e a idéia era passar os melhores e os piores momentos da TV francesa das décadas de 80 e 90 em ordem cronológica...durava várias horas (acho que começou por volta da meia noite e terminou quase 5 da matina)..foi bem legal. Mas obviamente, mostraram os 2 gols de cabeça do Zidane na final. A plateia foi ao delírio, e eu devo ter sido o único que fechou a cara e permaneceu sentado. Melhor momento pra eles, pior pra mim.

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?