quinta-feira, julho 27, 2006

Sampa City

Devido a um projeto que vou desenvolver, nas próximas duas ou três semanas estarei morando em Sampa, também conhecida mundialmente como São Paulo. Confesso que estou curtindo bastante a idéia. Não sei se é porque no momento esta estadia tem prazo pra terminar, e porque estamos no mês de férias e o trânsito da cidade está bem mais tranquilo, mas São Paulo até parece uma cidade agradável de se viver. E realmente seria, se tivesse metade da população e menos poluição sonora e do ar. Estou aproveitando para ver pessoas que vejo apenas esporadicamente, tentando fazer programas paulistanos (como ir jantar numa cantina italiana no Bexiga), curtindo os aspectos bons da cidade. Daqui a duas semanas eu talves esteja xingando o caos reinante e o rodízio e as pessoas que não usam ônibus e a falta de metrô para Moema e o barulho e a poluição e por aí vai. Mas agora, Carpe Diem !

Barril e Zabalê

Não sei se eu já disse isso antes, mas nunca é demais repetir: o Barril da Máfia é definitivamente um dos melhores bares de Campinas para amantes de boa música ao vivo. O ambiente é legal (apesar de pequeno), o público é bem interessante, e as bandas que tocam lá em geral são muito boas. Ontem fui assistir Zabalê, que toca samba e mpb, e devo dizer que fiquei altamente surpreso com a qualidade do grupo, tanto instrumental quanto vocal. Aconselho.

domingo, julho 16, 2006

Relíquia

Toda família tem uma jóia ou relíquia que passa de geração em geração. Pode ser uma jóia, uma propriedade, uma casa, obras de arte....em casa, é um Fusca. Um Fusca 76 vermelho. Comprado 0km pelo meu avô, que depois virou o carro de trabalho do meu pai por muito tempo, que me serviu de transporte para o cursinho durante alguns meses e que agora serve de carro de utilidade geral da casa. Podem falar muita coisa do fusca, mas uma coisa é inegável: o carro é sólido. Também pudera: seu projeto inicial foi feito na época da segunda guerra mundial, e seu propósito inicial era de poder transportar pessoas em campos de batalha. Difícil encontrar um desses carros "modernos" que durem 30 anos. 30 ANOS !!!! Minha irmã mais velha até usou o carro para ir até BH, não faz muito tempo. Mas tem que ser corajoso pra fazer isso....o motor é bem fraquinho e o nível de ruído interno bastante alto. Recentemente, por uma conjunção de fatos, tive que usa-lo para ir trabalhar, e pegar a estrada com ele requer alguns cuidados: ele não tem retrovisor direito, os parabrisas dianteiro e traseiro são bem pequenos e sobretudo a aceleração é baixa, fazendo com que ações que se faz com carros modernos não possam ser feitas com ele. Mas foi divertido :-) O melhor der tudo é que depois quando peguei meu gol, me senti numa BMW de luxo !


Pastel de feira

Acho que não é exagero dizer que o tradicional pastel de feira foi uma das maiores invenções da gastronomia popular do século 20. Sensacional o hábito de ir à feira de manhã e comer um pastel de queijo feito na hora ! Isso me lembra um pequeno causo ocorrido no rio há alguns anos atrás.

Naquela época eu namorava uma carioca, autêntica garota de Ipanema e flamenguixxxta da gema, e com isso tive a oportunidade de visitar a cidade maravilhosa algumas vezes pra fazer turismo e pra fazer o famoso social com a familia. Numa dessas vezes, acompanhei minha (ex) namorada pro médico, cujo consultório ficava na frente de uma famosa praça de Ipanema (os cariocas que me desculpem, mas esqueci o nome e não estou com a menor vontade de pesquisar). Nesse mesmo dia tinha uma feira na praça, bastante grande, e eu estava morrendo de fome e tinha que matar o tempo. Daí tive o reflexo de todo bom paulista: " vou comer pastel na feira !!!". E lá fui eu atrás da barraquinha....dei duas voltas na praça, e necas de achar a dita cuja.  Voltei um tanto quanto puto e decepcionado com aquela feira, e reclamei para minha namorada, que imediatamente começou a rir muito................e foi nesse momento fatídico que eu descobri que feira carioca não tem pastel. E obviamente, aquilo se tornou motivo de piada durante uns dois dias. Afinal, o paulixxxxxta achava que tinha paxxxtel na feira e não goxxtava de açaí com granola. Fala sério ai. Os cariocas não sabem o que é bom na vida !

Programa de Indio

Estava fazendo zapping aleatório na TV a cabo e caí num programa da BandSports sobre escalada. O tema do programa era a escalada da face sul do Aconcágua (aparentemente uma das 5 mais difíceis do mundo) pelo Vitor Negrete (que morreu recentemente numa escalada no Everest) e do Rodrigo Raineri (que aliás se formou em Engenharia de Computação na UNICAMP). Eu até entendo que deve ser emocionante chegar lá em cima, etc.. Mas o que mais me passou pela cabeça foi que aquilo era um baita programa de índio: frio, ar rarefeito, avalanches, pedras soltas, peso gigantesco nas costas, difícil acesso às equipes de resgate em caso de problemas, comida liofilizada. Sem contar que acidentes fatais não são raros. Inclusive nessa expedição, os dois brasileiros encontraram por acaso os corpos de dois outros brasileiros que morreram em 1998 tentando chegar lá em cima.

segunda-feira, julho 10, 2006

Carta Capital

A revista Carta Capital cuja capa tem uma foto do Juca Kfoury tem 3 matérias bem interessantes.

A primeira é uma entrevista com o próprio Juca, onde ele fala sobre futebol e política. Vale ressaltar a opinião dele que o Brasil não iria ganhar essa Copa de jeito nenhum. Os resultados seriam manipulados. Motivo? Primeiro: a Copa de 2010 será na África do Sul, e o Brasil tem tendência a vencer em países sem tradição. Segundo: a Copa de 2014 muito provavelmente será no Brasil, e daí o Brasil não iria perder a segunda em casa. Assim, seguindo o raciocínio, seríamos octocampeões em 2014, 5 títulos a mais que Alemanha e Itália, o que causaria um desânimo geral no público europeu. Bom...uma parte ele acertou: o hexa não veio em 2006. Mas se a teoria dele se confirmar, comemoraremos mais dois títulos em breve. Sinceramente eu não acredito...acho que os motivos de partida são fracos. O Brasil pode sim perder em casa !

A segunda matéria é uma transcrição de um depoimento do chefe do PCC, o Marcola, sob o título "As ideias do marcola". Ele descreve o processo de criação da facção criminosa, e justifica sua existência. É interessante ver que, do ponto de vista dele, o PCC é nada mais que uma ONG, visando proteger os direitos dos presos. Um outro lado da moeda, um tanto quando assustador: um papo que facilmente atrai gente para dentro da organização. Não sei até que ponto ele realmente acredita no que fala, mas é bem articulado.

A terceira matéria é sobre um projeto de lei municipal em São Paulo que proíbe carroças movidas a cavalo de circularem pela cidade. Problema: existe muita gente que vive de recolher lixo para reciclagem. A reportagem passa um dia com um carroceiro. Bastante emocionante.

Considerações sobre o fim da copa

Algumas coisas interessantes que podem ser constatadas nessa copa:

1) Quão longe um punhado de jogadores fantásticos, mas que não formam um time, pode ir na Copa ? Quartas de finais
2) Quão longe um time bem fraquinho mas com um técnico paizão e enérgico pode ir na Copa ? quarto lugar
3) Quão longe uma seleção bem aplicada taticamente, e com uma certa qualidade de jogo, mas muito dependente de apenas um jogador, pode ir na Copa ? vice-campeão.

Itália tetra. Opa...tem gente fungando no nosso cangote de novo.

segunda-feira, julho 03, 2006

Brasil fregues

Desde sábado eu estou com um texto na cabeça pra publicar aqui, pra deixar registrado tudo o que eu penso/pensei sobre o jogo. Mas realmente não estou com ânimo nesse momento. Depois de sábado, meio que fiquei alienado de televisão, jornal...daí voltar pra internet e começar a relembrar o que aconteceu faz com que o humor vá pras cucuias !
Tudo o que me vem na cabeça agora, no bom estilo Zagallo, é que "Brasil Freguês" tem 13 letras. "Parreira burro" também. Mas eu não acho que ele seja nenhum pouco burro. Só acho que ele não teve pulso, num momento crucial, e não soube liderar uma equipe.


This page is powered by Blogger. Isn't yours?